top of page

APRENDA A SE ALIMENTAR NO INVERNO | 5 dicas que vão mudar sua vida

Ai ai, chegou o inverno…


Amado por uns, odiado por outros. Não podemos negar que o inverno tem seus encantos, afinal, quem não gosta do aconchego das roupas quentinhas, os chás e chocolates quentes, as sopas deliciosas e reconfortantes, sem falar que dormir embaixo do cobertor é bem melhor. O gosto pelo frio ou calor depende muito da pessoa, porém, o que não varia, são os cuidados que devemos tomar com nosso corpo durante a estação.



Já falamos aqui sobre a importância de sazonalizar a alimentação e os benefícios que a prática acarreta. Quando a temperatura muda, é natural nosso corpo responder a estes estímulos também com algumas mudanças. Antes de mais nada, como o Brasil não é para amadores, o inverno é completamente diferente em cada região, então, não existem regras!


As mudanças sazonais podem provocar alguns efeitos no organismo e metabolismo humano, embora varie de pessoa para pessoa. Mas não se preocupe, óbvio que a Pitada vai ajudar a manter uma rotina de hábitos alimentares saudáveis, então, leia o conteúdo e salva essas dicas.



1. Exposição à luz solar: As mudanças nas estações resultam em variações na quantidade de luz solar disponível, influenciando a produção de vitamina D, que desempenha um papel importante na absorção de cálcio e na saúde óssea. A quantidade reduzida de luz solar durante os meses de inverno pode levar a uma diminuição nos níveis de vitamina D em algumas pessoas. então, aqui estão algumas dicas para lidar com essa situação:

  • Aproveite ao máximo aquele solzinho tímido do inverno, principalmente entre as 10h e 15h, quando eles são mais intensos. E precisa ser sol na pele, tá? Não adianta nada tomar sol na roupa, então, quanto mais pele exposta, melhor!

  • Para equilibrar a carência de vitamina D, que tal apostar em uma alimentação com maior presença desse nutriente?! Gemas de ovo, cogumelos, queijo, leite de vaca, iogurte e cereais são alguns exemplos. Os sintomas do baixos níveis de Vitamina D incluem a fadiga, dores musculares e ossos fracos, então, não dá para dar bobeira!

  • Em alguns casos, quando a exposição solar é limitada ou insuficiente para manter os níveis adequados de vitamina D, um profissional de saúde pode recomendar a suplementação de vitamina D. É importante consultar um médico ou nutricionista antes de iniciar a suplementação para determinar a dosagem adequada e avaliar a necessidade individual.


2. O ritmo circadiano, ou relógio biológico interno, regula os padrões de sono, a liberação de hormônios e muitos outros processos fisiológicos. As mudanças nas estações podem afetar o ritmo circadiano de algumas pessoas, principalmente devido às variações no comprimento dos dias e das noites. Isso pode levar a alterações nos padrões de sono, níveis de energia e humor. Mas nem tudo está perdido! Aqui estão algumas dicas para ajustar seu ciclo circadiano:

  • TOME SOL! A luz solar desempenha um papel fundamental na regulação do ritmo circadiano ao suprimir a produção de melatonina, o hormônio do sono

  • Nada de tela antes de dormir. A exposição à luz azul emitida por dispositivos eletrônicos, como smartphones, tablets e TVs, pode interferir na regulação do ritmo circadiano, pois ela engana o cérebro, indicando que ainda é dia.

  • Estabeleça uma rotina de sono. Vá para cama e acorde nos mesmos horários, manter uma rotina consistente ajuda a estabelecer seu reloginho biológico e promover um sono de qualidade.

  • Crie um ambiente acolhedor, escuro, silencioso e aconchegante, propício para embalar seu sono.

  • Pratique atividades relaxantes antes de dormir. Ler um livro, ouvir música, meditar, tomar um banho quente com aromas relaxantes são só alguns exemplos que preparam sua mente para uma boa noite de sono.

  • Mantenha constante as atividades físicas, mas evite a prática de exercícios próxima a hora de dormir.




3. Essa é a hora de se jogar nos alimentos calóricos. Durante o inverno, quando as temperaturas estão mais baixas, o corpo pode precisar de mais calorias para manter a temperatura corporal estável.



4. Não deixe de lado as atividades físicas! Eu te entendo, o frio pode ser um grande desincentivo, mas é um esforço que sempre vale a pena. No inverno, quando as temperaturas são mais frias, algumas pessoas podem se tornar menos ativas fisicamente e passar mais tempo em ambientes fechados, levando a uma diminuição no gasto calórico diário e no metabolismo basal.



5. Durante as estações mais frias, o corpo humano precisa trabalhar mais para manter uma temperatura corporal adequada, impactando na nossa regulação da temperatura corporal. Isso pode resultar em um aumento no gasto energético, à medida que o corpo queima mais calorias para manter-se aquecido. Então, é normal comermos mais no inverno!





Depois dessas dicas e a lista de alimentos da estação que disponibilizamos todo mês no nosso Instagram e aqui no blog, se alimentar no inverno ficou muito mais fácil e prazeroso. Fuja da monotonia alimentar e veja como a alimentação é diversa, poderosa e surpreendente.


 

VEJA TAMBÉM


Confira nosso canal no Youtube Pitada Natural e acesse muitos outros vídeos para você se inspirar.


Não perca as atualizações no Instagram @pitadanatural.


Acompanhe nossas páginas e esteja por dentro de todas as novidades e conteúdos produzidos com muito carinho e especialmente para vocês.

kit-temperos-quadrado.jpg

Bora fazer?

Compre suas Pitadas pelo nosso site e receba em casa, em todo Brasil, com FRETE GRÁTIS a partir de R$99!

bottom of page